12h00

Análise da evidência de que a diferença racial pode ser explicada pelo gene tripanolítico APOL1

Compartilhe
Tamanho da Fonte

Questão Clínica:

Salvador é a cidade com a maior população de afro-descendentes fora do continente africano. Sabe-se que esta população de afro-descendentes tem um risco excepcionalmente alto de doença renal crônica. A razão para este risco maior para doença renal em negros tem sido objeto de diversos estudos recentes.

Será que o maior risco para doença renal crônica em negros pode ser explicado por mecanismos genéticos? Análise da evidência de que a diferença racial pode ser explicada pelo gene tripanolítico APOL1.

Fonte Principal de Evidência:

Genovese G, Friedman DJ, Ross MD et al. Association of trypanolytic ApoL1 variants with kidney disease in African Americans. Science 2010; 329:841-845.

Visualizar artigo em PDF: Artigo 01

Rua Baependi, Nº 162
Ondina, Salvador - Bahia
CEP: 40170-070
Tel.: 71 2107-9666
2019. Associação Bahiana de Medicina. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital